Convocatória de artigos sobre Políticas Públicas e Esporte Revista Gestión y Política Pública (CIDE)


A revista Gestión y Política Pública convoca acadêmicos e pesquisadores, interessados no
estudo e na análise de políticas públicas relacionadas ao esporte, a apresentarem artigos
para serem enviados à publicação em um número especial a ser editado durante o ano de
2014 e publicado em 2015.
 Para este número, os Editores Convidados são o Dr. Fernando Segura M. Trejo,
associado à División de Administración Pública del Centro de Investigación y Docencia
Económicas (CIDE), México, em período de pesquisa na Fundação Getúlio Vargas do Rio
de Janeiro, e o Dr. Bernando Borges Buarque de Hollanda, pesquisador do Centro de
Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil e da Escola de Ciências
Sociais da Fundação Getúlio Vargas.
 Gestión y Política Pública é uma revista acadêmica semestral editada pela División
de Administración Pública del Centro de Investigación y Docencia Económicas (CIDE), que
tem 20 anos de existência e se encontra referenciada em importantes índices e abstracts
nacionais e internacionais como o Índice de Revistas Mexicanas Científicas de Excelencia
del CONACYT, Citas Latinoamericanas en Ciencias Sociales y Humanidades (CLASE), Red
de Revistas Científicas de América Latina y el Caribe, España y Portugal (Redalyc), e
também em Thomson Reuters (Thomson ISI), Cambridge Scientific Abstracts (CSA) e
Hispanic American Periodicals Index (HAPI).

Nos últimos anos, ainda que em níveis insuficientes, a agenda do esporte tem
ganhado certo peso nos discursos e nas decisões de política pública em diferentes
contextos. O mesmo pode-se dizer em relação ao estudo das políticas públicas referentes
às práticas e ao espetáculo esportivo. Entretanto ainda estamos longe de contar com
enfoques, estudos de casos e evidências científicas comparadas sobre este tema quanto
aos avanços em outras áreas de políticas públicas. Ainda não existe uma tradição empírica
de pesquisa em instituições e políticas públicas nessa matéria, tampouco são visíveis os
estudos comparativos que impulsionam resultados generalizados e validade de enfoques
científicos. Isso impacta negativamente na qualidade do debate acadêmico e também no
desenvolvimento das mesmas instituições encarregadas de desenhar, executar e avaliar
políticas públicas do esporte.
 Propõe-se aqui um número especial, representativo, de gestão e políticas públicas
do esporte em distintas latitudes, buscando abrir um espaço multidisciplinar para
abordagens tanto qualitativas como quantitativas, fundamentados em uma perspectiva
rigorosa. Com efeito, neste volume, Gestión y Política Pública pretende abrir um espaço de
discussão científica para a apresentação de debates teóricos, provas empíricas dehipóteses e a exposição argumentativa sobre as experiências de gestão dentro do âmbito da
geração e articulação de políticas públicas em matéria de esportes. Cabe aclarar que, se o
futebol aparece como uma opção natural, esta convocatória está direcionada, de maneira
igual, a qualquer prática esportiva.
 Por exemplo, no que se refere às políticas públicas de inclusão social de populações
e grupos em situação de vulnerabilidade, o esporte tem sido incorporado a diversos
projetos. A maioria destas iniciativas é levada adiante pelas Organizações Não
Governamentais, ainda que quase sempre com subsídios e patrocínios tanto públicos como
privados em uma espécie de extensão de uma política pública. Tal sentido estimula a
exposição de propostas que se referem a tais casos (i.e. Diagnósticos do problema atendido
e análise do impacto social gerado; Discussão de valores, indicadores e mediações
utilizados no desenvolvimento dos programas e projetos; Cooperação com o setor público e
privado: benefícios, obstáculos e desafios; Experiências comparativas, modalidades de
execução, eixos comuns e diferenciais; Análises de conflitos e contradições nos projetos; e
avaliações de projetos e recomendações de política pública).
 Similarmente, a administração e as políticas públicas dirigidas ao esporte de alto
rendimento nos países requerem análise e discussão. Recebem-se artigos que exponham:
Análises quantitativas e avaliações do funcionamento de sistemas de alto rendimento
nacional; Análises qualitativas (por exemplo, trajetórias de esportistas; interações entre
estes e seu entorno); Comparação internacional de experiências; incentivos à geração de
um ambiente para a competência olímpica; análises de gasto público no sistema nacional;
Exposição de casos específicos de alguma federação ou esporte (seja uma experiência de
sucesso ou a análise de falhas que impedem que talentosos esportistas contem com um
suporte adequado).
 Nesse sentido, estimula-se, a partir de uma ótica de políticas públicas, a uma análise
cerca de diversas políticas públicas sobre o esporte, incluindo, por exemplo, a regularidade
da violência nos estádios de futebol e os conflitos entre grupos de torcedores em diferentes
contextos. Embora existam abundantes estudos europeus e latino-americanos que buscam
compreender os sentidos, os códigos e as origens das diferentes formas de violência que se
manifestam em relação ao espetáculo esportivo, particularmente o futebol, poucas
experiências têm sido executadas no mundo que busquem uma mudança cultural a partir de
uma política pública, procurando deslegitimar a violência no discurso e nos valores dos
torcedores mais radicais e, inclusive, nas forças de segurança, estabelecendo canais
preventivos de ações públicas. Aliás, há alguns projetos de políticas públicas encaminhadas
ou em construção que merecem ser documentados. Convoca-se desde já a análise de
políticas públicas, incluindo a exposição de experiências de prevenção, regularidade e
contenção da violência no futebol. Resultados e desafios; Diagnósticos científicos sobre o

problema para a execução de uma política pública; Análise de falhas de políticas públicas,
ausência destas, ou Fatores que têm impedido a execução de médio a longo prazo;
Avaliações de políticas efetuadas em coordenação entre a esfera pública e âmbito privado,
em vista de recomendações de política pública.
 Em geral, o número busca apresentar preferencialmente e não de forma exclusiva
contribuições originais, analíticas e empíricas sobre os seguintes eixos:
 Gestão do esporte nos âmbitos federal, estadual e municipal.
 O fomento do esporte como recreação e divertimento, recuperação de espaços
públicos ou prática de saúde pública.
 Políticas sociais de inclusão da população vulnerável por meio de programas de
esporte amador.
 Exposição de experiências de políticas públicas de prevenção, regularidade e
contenção da violência no futebol. Resultados e desafios.
 Regularidade da violência no espetáculo esportivo, tanto em mega eventos como em
ligas nacionais e/ou regionais (políticas públicas ad hoc).
 Diagnósticos científicos sobre o problema para a prática de uma política pública
sobre esportes.

 Análise de falhas de políticas públicas do esporte, ausência destas ou fatores que
tem impedido a execução de médio a longo prazo.
 Avaliações de políticas públicas efetuadas de forma coordenada sobre a esfera
pública, o âmbito privado e/ou o terceiro setor com vista a propor recomendações de
política pública.
 Administração do esporte de alto rendimento.

Os casos apresentados podem conter combinações dos tópicos sugeridos para as
apresentações, incluindo mais de uma ou várias das dimensões mencionadas. Isso também
se aplica a outros eixos de políticas públicas que se referem ao esporte. As exposições
devem procurar colocar em destaque o tipo de interação contida em cada contexto descrito.
Conforme a tradição de aprendizagem a partir dos estudos de caso, é importante para este
número editorial contemplar inovações na gestão e a execução de políticas públicas.
Evidentemente, tal edição também admite uma análise de falhas e inclusive de fracassos
das políticas como parte dos conteúdos, sempre que o enfoque busque identificar fatores de
fracassos, aprendizagens e recomendações. Tem escolhido abrir a convocatória à proposta
de artigos de maneira a estimular a participação e contar com a presença de distintas
latitudes em uma temática que se considera nova nas políticas públicas.
O enfoque dos artigos pode centralizar em uma realidade nacional ou experiência
administrativa concreta, apesar de que se avaliam, especialmente, os trabalhos que
oferecem uma análise comparativa, tanto no contexto do país, como no correspondente a
diferentes agências administrativas, níveis de governo ou organizações civis com incidência
pública.

Apresentação das propostas dos artigos

Esta convocatória está aberta em primeira instância para uma pré-avaliação das
propostas de artigos. Estas podem ser aceitas em espanhol, inglês e português, mas todo
artigo aceito pelo Comitê Científico deverá ser escrito e enviado somente em espanhol ou
em inglês, segundo a preferência do autor.
Cabe esclarecer que uma pré-avaliação favorável para uma proposta de artigo não
significa, necessariamente, sua aceitação, porque isto se determina em uma segunda etapa,
pelo processo de avaliação formal dos trabalhos submetidos.
 As propostas dos artigos informados podem se apresentar em espanhol, inglês e
português.
 Essas devem conter:
o Uma clara exposição do problema de política pública.
o Definição da metodologia de trabalho (perguntas ou hipóteses que
desejam explorar ou demonstrar, dados sobre a população, anos de
estudos, ferramentas metodológicas quantitativas ou qualitativas
utilizadas na pesquisa).
o Resumo da exposição e apresentação do caso (etapas da política pública,
objetivos procurados, execução, desafios, falhas e resultados
observados). As abordagens devem conter uma lógica das políticas
públicas quanto à apresentação do problema, a exposição e as
recomendações.
o Recomendações de política pública e conclusão.
o Bibliografia básica utilizada.

 As propostas devem resumir-se entre 3 e 5 páginas (máx.) de Word, letra Arial 12,
espaçamento 1.5.
 Proporcionar um breve esboço curricular dos autores que contenha nome e
nacionalidade, formação acadêmica, atividade que esteja desenvolvendo, endereço,
telefone e e-mail.

 As propostas serão avaliadas por dois membros de um Comitê Científico
Internacional (estudiosos na matéria) para uma primeira seleção.
 O Comitê discutirá a quantidade de propostas a reter para a elaboração de artigos,
bem como sua extensão.
 A data limite para a entrega das propostas dos artigos é sexta-feira, 16 de maio
de 2014.
 Qualquer circunstância não contemplada na presente convocatória será resolvida
pelos editores deste número em comunicação com o editor de Gestión y Política
Pública.
As propostas dos artigos devem ser enviadas a: fernando.trejo@fgv.br e
ana.cantarrivas@exalumnos.cide.edu

Estimula-se os especialistas e pesquisadores, com a possibilidade de incluir nos textos
como coautores a responsáveis de execução das políticas públicas, a participarem deste
número de rigor acadêmico e com visibilidade internacional, para promoverem a produção
do conhecimento, ferramentas úteis e debates de um tema que continua sendo escasso em
sua exposição. Este número constitui a primeira contribuição temática do esporte na revista

Gestión y Política Pública e será editado em forma bilíngue.

Recepção e informações

As propostas aceitas na pré-avaliação terão até 29 de agosto de 2014 para apresentarem
seus artigos completos e receberão, exclusivamente, em formato eletrônico por e-mail. Não
serão aceitos trabalhos depois desta data. Os manuscritos poderão ser dirigidos a
fernando.trejo@fgv.br e ana.cantarrivas@exalumnos.edu.cide.edu. A apresentação dos
artigos terão como regra os requerimentos e habituais modelos expressos nas “Indicaciones
para los colaboradores” de Gestión y Política Pública (www.gestionpoliticapublica.cide.edu).
Cabe lembrar que a revista somente publica artigos inéditos e os que não estejam
submetidos à publicação, simultaneamente, em nenhum outro meio.
Os requerimentos básicos para os artigos finais são os seguintes:

 Os artigos serão aceitos somente em espanhol ou inglês. O trabalho
deverá ter uma extensão mínima de 7.000 palavras e máxima de
12.000, a serem entregues em letra Arial 12 pontos com espaço um e
meio em papel tamanho carta.
 Incluir, junto com o envio do trabalho, a seguinte informação: título do
trabalho (em espanhol e inglês), um resumo de seu conteúdo, de 80 a
160 palavras (em espanhol e em inglês, o mesmo conteúdo),
palavras-chave (em espanhol e em inglês, as mesmas quantidades de
palavras e mesmo sentido).
 Proporcionar um breve esboço curricular do autor em espanhol e
inglês que contenha nome e nacionalidade, formação acadêmica,
atividade que está desenvolvendo, endereço, telefone, fax e e-mail
(máximo 80 palavras), e segundo os seguintes índices: país
International Broad Topics Classification System
http://www.csa.com/factsheets/supplements/paisbroadtopics.php; ocde
Macrothesaurus http://168.96.200.17/ar/oecd-macroth/; UNBIS, Unite
Nations Bibliographic Information System http://unhq-appspub-
01.un.org/LIB/DHLUNBIS Thesaurus.nsf).
 Colocar as referências bibliográficas entre parêntesis no texto da
seguinte maneira: (autor, ano, página).
 A bibliografia completa deve ser apresentada ao final, ordenada
alfabeticamente e adequando ao seguinte esquema: a) Para livros:
sobrenomes, nome, ano (entre parêntesis), título (entre aspas),
cidade, editora; b) Para artigo compilado em livro: sobrenomes, nome,
ano (entre parêntesis), título (entre aspas), a palavra em, nome do
compilador, título do livro (em cursiva), cidade, editora; c) Para:
revistas e jornais: sobrenomes, nome, ano (entre parêntesis), título
(entre aspas), a palavra em, nome da publicação, volume, número,
páginas.
 Toda imagem, tabela, gráfica ou figura, deve ir com o título e
acompanhada de sua fonte ou, em seu próprio caso, “Elaboração
própria”. Enviar as tabelas, diagramas, figuras e gráficos em um
pacote em que foram criadas (Word, Excel, Stata). No caso de usar
outro programa, favor informar o mais rápido possível.
 Breve biografia de cada autor em espanhol e inglês, (entre 100 e 180
palavras).
 Invariavelmente os autores dos trabalhos aceitos deverão assinar
um contrato de cessão de direitos.

Os artigos escritos serão submetidos a um rigoroso processo de avaliação anônima e será
realizado por, pelo menos, dois dos integrantes da comissão de Gestión y Política Pública e
membros do Comitê Científico, especialistas no tema. O processo de avaliação concluir-se-á
no mais tardar em 16 de janeiro de 2015. É importante mencionar que o resultado dos
juízes vislumbra a possibilidade de que o artigo seja aceito, rejeitado, ou, em todos os
casos, devolvido com correções por fazer para ser admitido. Os autores terão um mês, no
máximo, para enviar a versão final de seu manuscrito.

No entanto, se o número de artigos aceitos não resulta o suficiente para integrar um número
completo da revista, então os textos aceitos serão publicados em uma seção especial da
edição regular da Gestión y Política Pública.

III Seminário Internacional do NEPESS (Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Esporte e Sociedade)- Seminário das Confederações.


Seminário das Confederações. 

PERÍODO DE 18 a 21 DE MARÇO DE 2013. LOCAL: UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE- NITERÓI- RIO DE JANEIRO- BRASIL




18.03.13
19.03.13
20.03.13
21.03.13
14 – 17h

Apresentação de trabalhos
Mostra de Vídeo
Apresentação de trabalhos
18 – 21h
Mesa 1
Mesa 2
Mesa 3
Mesa 4




III Seminário Internacional do Nepess (Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre Esporte e Sociedade) - Seminário das Confederações. 18 a 21 de março de 2013 Local: Universidade Federal Fluminense- Niterói - Rio de Janeiro - Brasil


Grupos de Trabalhos



GT 1: Futebol e seus múltiplos discursos

19 de março, das 14 às 17h00
Local: GT 1 - Bloco N  sala 209
Coordenadora: Profa Dra. Leda Maria da Costa (Nepess/UFF)
Debatedor: Profa. Dra. Simoni Guedes ( NEPESS/UFF)

HINOS DE FUTEBOL EM PORTUGAL E NO BRASIL: DOS HINOS MARCIAIS AOS POPULARES.  
Elcio Loureiro, Doutor, UFMG

O DISCURSO SOBRE FUTEBOL E VIOLÊNCIA EM MINAS GERAIS
 Luciane Corrêa Ferreira, Doutora, POSLIN-UFMG, Fillipe Dória de Mesquita, Graduando, PROBIC/FAPEMIG-UFMG e Anna Carolina Oliveira Mendes, Graduanda, CAPES-UFMG.

PRELIMINARES ICONOTEXTUAIS DA COPA DE 2014: MARCAS DA DISSEMINAÇÃO Julia Almeida, Pós-doutora, UFES.

A TRADIÇÃO E MODERNIDADE NO “NOVO MINEIRÃO”
Priscila Augusta Ferreira Campos, Doutoranda, FEF/UNICAMP, Silvio Ricardo da Silva, Doutor, Silvia Cristina Franco Amaral, Doutora, FEF/UNICAMP

MARIO FILHO E O NEGRO NO FUTEBOL BRASILEIRO: UMA ANÁLISE HISTÓRICA SOBRE A PRODUÇÃO DO LIVRO.
Fernanda Haag, Mestranda, UFF



GT 2: Futebol, mercado e profissionalização

19 de março, das 14 às 17h00
Local: GT 2 - Bloco O sala 516
Coordenador: Prof Dr. Luiz Rojo (NEPESS/UFF)  
Debatedor: Prof. Dr. João Sedas (Universidade Nova de Lisboa)

CONSTRUINDO O ATLETA: O MERCADO ESPORTIVO MUNDIAL E SEUS IMPACTOS SOBRE A FORMAÇÃO ESPORTIVA E ESCOLAR DE JOVENS BRASILEIROS E ESPANHÓIS.  
Carlus Augustus Jourand Correia, Mestrando, UFRJ.

PEQUENAS EMPRESAS, GRANDES NEGÓCIOS: ANÔNIMOS DE FUTEBOL PROFISSIONAL BRASILEIRO.
Marina de Mattos Dantas, Doutoranda, PUC-SP.

MIGRAÇÕES E DESLOCAMENTOS DE JOGADORAS DE FUTEBOL: MERCADORIA QUE NINGUÉM COMPRA?
 Mariane da Silva Pisani, Doutoranda, USP.  

ASPECTOS SOCIOLÓGICOS DA PROFISSIONALIZAÇÃO DO FUTEBOL EM BELO HORIZONTE NAS DÉCADAS DE 1920 E 1930
Marcus Vinícius Costa Lage, Mestrando, PUC- Minas, Regina de Paula Medeiros, Doutora, PUC - Minas



GT 3: Futebol e identidades nacionais

ATENÇÃO nova data: 21 de março, das 14 às 17h00
Local: GT 3 - Bloco N 305 (14:00h até as 16:00h)  e depois N 301 ( 16:00h até as 18:00h)
Coordenadora: Prof. Dr. Martin Curi (NEPESS/UFF)
Debatedor: Prof Dr. Arlei Damo (UFRGS)

A MODERNIDADE EM JOGO: O FUTEBOL E A MANUTENÇÃO DA IDENTIDADE NACIONAL
Jessica de Montanhini de Souza, Graduanda, UFOP

A COPA DO MUNDO BRASIL 2014 COMO INSTRUMENTO DE “MODERNIZAÇÃO CONSERVADOR”: O CASO DE FORTALEZA COMO CIDADE SEDE.
Radamés de Mesquita Rogério, Mestre, UFC, Leonardo Costa de Vasconcelos, Mestre, UFC

O LUSO, O TRÓPICO E A BOLA
Caio Charles de Albuquerque, Graduando, UFF  

 O ESPORTE A FORMAÇÃO DE IDENTIDADES: O CASO DO FUTEBOL NA COLÔMBIA (1948- 1951)
 Eduardo De Souza, Graduando, FFP/UERJ

GUERRILLERO: DESMOVILÍCESE Y VUELVA A JUGAR! FÚTBOL Y CONFLICTO EN COLOMBIA. USOS DISCURSIVOS EN LA POLÍTICA DE LOS ÚLTIMOS 30 AÑOS
David Leonardo Quitián Roldán, Doutorando, UFF.


GT 4: Clubes, histórias e memórias

21 de março, das 14 às 17h00
Local: GT 4 - Bloco N  sala 209
Coordenador: Ddt. André Alexandre Guimarães Couto (NEPESS/UFF/CEFET-RJ)
Debatedor: Prof. Dr.Silvio Ricardo (UFMG)

CINZAS NO SENADO: ESPETACULARIZAÇÃO DO FUTEBOL, DITADURA MILITAR E ABERTURA POLÍTICA ATRAVÉS DA TRAJETÓRIA DA FRENTE AMPLA PELO FLAMENGO (1976- 1980).
Luiz Guilherme Burlamaqui, Mestrando, UFF.


ANTROPOLOGIA ESPORTIVA, O MUNICÍPIO DE VARGINHA E O TIME DE FUTEBOL BOA ESPORTE CLUBE: TRAJETÓRIA, ENCONTRO (DES) IDENTIFICAÇÃO AFETIVA E RELAÇÃO ECONÔMICA.

Janael da Silva, Mestrando, Unifal MG - Campus Varginha. 
Prof.Dr. Marcelo Lacerda Rezende, Universidade Federal de Alfenas -UNIFAL/MG

DIÁRIO DE UM CRAQUE: ESCRITA DA HISTÓRIA, MEMÓRIA E FUTEBOL NA SAGA DOS "CAMPEÕES DE GELO" PELA EUROPA EM 1950.
Thiago Carlos Costa, Mestrando, UFMG.


GT 5: Torcidas de futebol

ATENÇÃO nova data: 19 de março, das 14 às 17h00
Local: GT 5 - Bloco O sala 516
Coordenador: Profa Ddt Ingrid Ferreira Fonseca (NEPESS/UFF/IFRJ) 
Debatedora: Prof Dra. Rosana Câmara Teixeira  (UFF)

COPA DAS CONFEDERAÇÕES: UM ESTUDO DE PÚBLICO
Amarildo da Silva Araujo, Mestrando, UFMG, Plínio de Almeida Junior, graduando, UFMG


EM NOME DA GARRA, DO AMOR E DA PAIXAO: UMA ANÁLISE DAS MARCAS COLETIVAS DE GRUPOS FEMININOS NAS TORCIDAS ORGANIZADAS DO CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO.
Luiz Arator Carvalho Vaz, Graduando, UFF

A ATUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES CIVIS NA DEFESA DOS INTERESSES DOS TORCEDORES NA REORDENAÇÃO URBANA DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO.
 Juliana Barbosa Torres, Mestranda, UFF, Marco Aurélio Alves, Graduando, UFF.

AS NOVAS ARENAS E EMOÇÕES DOS TORCEDORES DOS VELHOS ESTÁDIOS Gustavo Bandeira, Mestre, UFRGS, Matheus Beck, Especialista, UFRGS


GT 6: Futebol e mídias esportivas

21 de março, das 14 às 16h00
Local: GT 6 - Bloco N  sala 305
Coordenadora: Profa Ddt Ingrid Ferreira Fonseca (NEPESS/UFF/IFRJ) Debatedor: Prof Dr. Elcio Loureiro (UFMG)


FUTEBOL, MÍDIA E REPRESENTAÇÃO: A SELEÇÃO BRASILEIRA PELOS SITES R7 E GLOBO ESPORTE NAS OLIMPÍADAS DE LONDRES 2012.
 Francisco Ângelo Brinati, Doutorando, UERJ   

A MÍTICA REPRESENTAÇÃO DO “FUTEBOL - ARTE” E A BANALIZAÇÃO DOS ESTEREÓTIPOS NACIONAIS. UMA ANÁLISE DO FILME: “GINGA: A ALMA DO FUTEBOL BRASILEIRO”
Ronaldo George Helal, Pós-Doutor, UERJ, Álvaro Vicente Graça Truppel Pereira do Cabo, Doutorando, UFRJ  

DON@S DA BOLA: QUANDO GÊNERO E SEXUALIDADE ENTRAM EM CAMPO DE FUTEBOL
Angélica Caetano, Mestre, UFSC, Thais de Almeida, Mestre, UFRGS.